MICROAGULHAMENTO



A técnica do microagulhamento consiste em produzir furos minúsculos na pele com o objetivo de estimular os fibroblastos, as células responsáveis pela produção de colágeno, para restaurar a pele que foi danificada. Os resultados são percebidos após dois a três meses, uma vez que o ‘amadurecimento’ do novo colágeno é um processo lento. Espera-se melhora de 70% a 80% após duas a quatro sessões.

Como todo procedimento estético disponível no mercado, o microagulhamento também possui restrições sobre quem pode realizar o método. O tratamento não deve ser feito em áreas do corpo com infecções e em pacientes com tendência à formação de queloide. Para isso, é preciso que um dermatologista avalie as condições clínicas do paciente, para saber se é possível aplicar esta técnica.

As principais indicações do microagulhamento são: foto envelhecimento (resurfacing), cicatrizes de acne, de queimadura e cirúrgicas. A técnica pode ser indicada também no tratamento de estrias, melasma, melhora da textura da pele (poros dilatados) e para auxiliar na deposição de substâncias terapêuticas nas camadas mais profundas da pele (drug delivery).